quarta-feira, abril 30

Giro d'Italia 2008: Sexta etapa, LPR Brakes.

15 de Maio, Etapa 6: Potenza – Peschici 247km

Ao sexto dia os corredores têm a etapa mais longa, 247km que começa na primeira parte com uma subida de 3ª categoria a 656 metros de altitude (Rionero in Vulture) e depois segue-se um longo caminho até ao circuito do Gargano, algo complicado.

LPR Brakes

Uma equipa que pela primeira vez participa no Giro e logo com o vencedor em título, um caso raro!! Danilo Di Luca tem sido atormentado com várias alegações de doping e só à poucas semanas foi finalmente ilibado. Di Luca tem se mostrado em bom nível esta época com alguns pódios (Tirreno-Adriático) e algumas vitórias em provas menores do seu país. Nas grandes corridas europeias a sua equipa é raramente convidada, o que torna algo misterioso o seu desempenho para próximo mês. Nas clássicas onde habituamo-nos a vê-lo, foi um dos ausentes este ano, talvez peca por falta de ritmo de competição, no entanto com um objectivo claro esta época e consequentemente uma preparação específica para o Giro será um dos mais bem preparados. Paolo Salvodelli, outro vencedor do Giro (2005), irá à semelhança do ano passado tentar uma vitória num contra-relógio já que é dos melhores em competição, irá também querer melhorar o seu anterior 12º lugar. A LPR deverá participar em algumas fugas mas com certeza que todos irão trabalhar em prol de Salvodelli e principalmente Danilo Di Luca.

Paolo Bailetti ITA

Gabriele Bossio ITA

Riccardo Chiarini ITA

Danilo Di Luca ITA

Giairo Ermeti ITA

Jure Golcer SLO

Daniele Pietropolli ITA

Paolo Savoldelli ITA

Alessandro Spezialetti ITA

Benfica fora da Vuelta!!

É triste, mas é verdade, o Benfica fora da Volta à Espanha.... Vai ser uma das edições mais competitivas dos últimos anos pois será o maior palco de confrontos entre Gigantes esta época, e o Benfica bem podia fazer algum arranhão ao contrário de outras equipas...francesas.

Lendo o artigo do Ciclismo Digital ainda me fez relembrar mais, o que essas equipas vem fazer ao nosso país vizinho, passear... O Benfica tem melhor plantel do que essas equipas costumam apresentar.

Ainda pergunto mais, um dos critérios “reúnen los máximos requisitos éticos”, o Benfica gastou uma fortuna com o novo programa (Passaporte Biológico) da UCI. Não serve de nada está visto...

Por isso qual será o motivo?!! O mesmo de sempre, infelizmente: o doping.

A Operación Puerto ainda assombra o ciclismo, Ruben Plaza já foi absolvido no entanto esta marca continua-o a acompanhar, a ele e às equipas que o representam, então e Alberto Contador? Tem o mesmo historial de Plaza, já foi suspeito mas depois absolvido, só porque ganhou a Volta à França tem mais direito que Plaza?!

Como é que o Ciclismo quer "andar para a frente" se estas feridas ainda estão abertas!! Há que fechá-las , mas parece que não é desta já que ouvi ultimamente que a Operación Puerto vai ser reaberta. Se o corredor foi absolvido é porque está inocente, ou pelo menos devia, se não têm a certeza descubram, façam qualquer coisa para esclarecer de uma vez por todas....

Finalizo acrescentando mais um critério aos que falta: "Uma equipa Espanhola com ligações passadas à Operación Puerto pode participar, se for estrangeira: Vuelta para ti não"!!!

terça-feira, abril 29

Giro d'Italia 2008: Quinta etapa, Liquigas.

14 de Maio, Etapa 5: Belvedere Marittimo - Contursi Terme 170km

Depois de duas etapas planas, segue-se um dia com alguns “altos e baixos”, conta a meio com uma contagem de 3ª categoria (Fortino) e depois segue-se um percurso que fará elevar o ritmo cardíaco dos corredores até ao fim.

Liquigas

A equipa italiana tem estado ultimamente nas capas dos jornais devido à futura contratação de Ivan Basso. Depois de ter ganho o ano passado com Danilo Di Luca, é improvável que conseguia repetir este ano sem o "Killer". Franco Pelizzoti será o capitão mas devido à sua fragilidade no contra-relógio dificilmente fará melhor que o 9º lugar do ano passado. Vicenzo Nibali, um jovem de 24 anos já com uma boa época pode ser uma das revelações deste Giro. Venceu à dias o Giro del Trentino e sendo um dos melhores contra-relogistas italianos só tem que evoluir na montanha para subir muitos lugares depois do 19º na edição anterior, sem dúvida um corredor para prestar atenção. Para os sprints, o novo reforço Daniele Bennati tem tido uma época discreta pois a sua lesão tem o assombrado, todavia é sempre um provável vencedor numa discussão ao sprint. Uma equipa bastante forte que sem um forte candidato à vitória tem no colectivo o seu maior trunfo, composta por excelentes trepadores, tanto jovens como veteranos.

Falta um corredor:

Daniele Bennati ITA

Roman Kreuziger CZE

Vladimir Miholjevic CRO

Vicenzo Nibali ITA

Andrea Noe ITA

Franco Pellizotti ITA

Alessandro Vanotti ITA

Charles Wegelius GBR


Foto de baixo cedida por: Capture-the-Peloton.

Tour de Romandie 2008 (live stream): Thomas Dekker à procura da liderança do Pro Tour

Começa hoje o Tour de Romandie na Suíça. Apenas seis dias na “média montanha” com alguns picos íngremes, um contra-relógio e um prólogo de 2km, hoje. Este ano tal como nos outros, temos um bom leque de participantes, a maior ausência é Cadel Evans, vencedor de 2006 atrasa assim o confronto com Carlo Sastre, um dos candidatos à vitória do Tour em Julho.

Esta é sem dúvida uma corrida muito dura, os sprinters terão que batalhar no duro se quiserem ter oportunidade de pelo menos estarem no sprint final, a segundo e última etapa serão as suas melhores hipóteses. Os outros dias serão para contra-relogistas e trepadores, isto reflecte-se nas classificações anteriores onde corredores que sobem bem, mas com aptência para o contra-relógio têm aqui grande vantagem, Evans, Botero, Hamilton. Todos estes conseguiram chegar no grupo da frente e depois do contra-relógio alcançaram a vitória.

Thomas Dekker da Rabobank (na foto), vencedor o ano passado, é o principal favorito. Vem de uma brilhante semana nas Ardenas que apesar de alguns problemas de estômago na corrida de domingo conseguiu acabar em 6º lugar. Com a ajuda de Mollema e Menchov deverá repetir o feito de Tyler Hamilton (2003 e 2004) e Dario Frigo (2001 e 2002).

O seu maior adversário será a Astana, eles andam à caça de qualquer título numa corrida Pro Tour mas entreguam-no desta vez a Andreas Kloden? Apesar do seu invejável currículo é raro nos dias de hoje alguém chegar a uma prova destas, fazendo o seu próprio calendário sem nenhuns créditos esta época e simplesmente ganhar!! Mesmo com Gusev e Muravyev a guiá-lo pelas montanhas será suficiente? Talvez Chris Horner seja a tábua de salvação...

Existem mais jovens a pensar na vitória, Roman Kreuziger da Liquigas já no ano passado esteve em bom nível (6º) e Chris Anker Sorensen (Team CSC) que teve o seu despertar aqui ao ficar em 2º na classificação da montanha no ano passado, nesta semana irá mostrar se a aposta feita pela CSC para o Giro, será justificada.

John Gadret (AG2r) e principalmente Sandy Casar (Française des Jeux) serão os franceses a ameaçar a classificação geral, ambos pecam pelo seu contra-relógio o que os levará certamente, a ataques no final das etapas à procura de preciosos segundos.

De Espanha vem Oscar Pereiro (Caisse d’Epargne) que continua com fracos desempenhos, desde a época passada. Na mesma situação está José Gomez Marchante (Saunier Duvall) que também com uma época apagada ambiciona um novo recomeço; quem sabe igualar aqui a sua maior vitória em 2006 (Volta ao País Basco). Ainda nesta equipa, o brasileiro Luciano Pagliarini busca a sua melhor forma para o seu principal objectivo, uma vitória no Giro.

Uma das mais fortes esquadras é a Euskatel Euskadi. Alguns corredores estiveram em boa forma ultimamente, Mikel Astarloza (na foto) é um forte candidato ao pódio final depois de uma boa performance nas Ardenas. Ainda é algo cedo para Hamair Zubeldia mas poderá ser um bom apoio para Astarloza tal como Amets Txurruka.

Finalmente na Quickstep as Ardenas não lhe correram muito bem, mas nesta equipa têm uma boa estrutura. Matteo Carrara para o sprint nas colinas, Alex Efikim para as fugas e ainda o jovem Kevin Seeldrayers para a classificação geral. Este poderá ir longe especialmente se o talento do trepador Juan Garate vir ao de cima.


Se quiserem ver esta emotiva corrida é só clicar neste link e escolher a definição. Todos os dias a partir das 14h, terça-feira(6/05) é o útlimo.

Start List. Site oficial.

Artigo com descrição detalhada das etapas no blog Maglia Rosa.


Fotos cedidas por: Oscar Matxin.

segunda-feira, abril 28

Giro d'Italia 2008: Quarta etapa, CSF Group Navigare.

13 de Maio, Etapa 4: Pizzo Calabro - Catanzaro-Lungomare 187km

Finalmente fora da Sicília, a quarta etapa de 187km começa com uma subida a 1353 metros de altitude, o Colle d'Arena, antes de mais um longo e plano caminho até à meta. Esta situa-se em Catanzaro-Lungomare onde pela segunda vez os sprinters estão de serviço....

CSF Group Navigare

Este conjunto apesar de não ser muito conhecido, obtem bons resultados em Itália. É sediado na Irlanda mas é feita de italianos e alguns sul-americanos tais como Maximilianno Richeze, um bom sprinter argentino que costuma discutir as vitórias de etapas no Giro apesar de nunca ter ganho uma, contudo já conseguiu alguns pódios. Emanuele Sella um excelente trepador mas que no contra-relógio vai-se a baixo, terminou em 11º no ano passado. Esta equipa tem um plantel com excelentes trepadores onde nas etapas de alta montanha por vezes andam na frente: Juan Pèrez Cuapio, Domenico Pozzovivo, Fortunato Baliani. Mais uma equipa continental à procura de vitórias procurando-as através de fugas, o ano passado Luis Laverde venceu a 6ª etapa incluído numa, que acabou com mais de sete minutos de vantagem sobre o pelotão...

Faltam mais alguns..

Fortunato Baliani ITA

Paride Grillo ITA

Luis Felipe Laverde Jimenez COL

Julio Alberto Perez Cuapio MEX

Richeze Maximiliano ARG

Emanuele Sella ITA


Foto do site da: CSF Group Navigare.

Liége-Bastogne-Liège 2008: O desenrolar....

Fantástico final ontem na Liège-Bastogne-Liège. Foi uma corrida cheia de ataques aos quais vou deixar aqui algumas referências...

Desde cedo cinco corredores andaram destacados mas depois de quase 200kms, as forças começaram a fraquejar...

Os fugitivos: Markus Fothen (Gerolsteiner), Tom Stubbe (Française des Jeux), Pavel Brutt (Tinkoff Credit Systems) e David Kopp (Collstrop), Pierre Rolland (Crédit Agricole).

Ainda este grupo não se tinha desmembrado e posteriormente alcançado, já Phillipe Gilbert (Française des Jeux) e Kjell Carlström (Liquigas) atacavam no pelotão. O sueco rapidamente ficou para trás pois o ritmo de Gilbert era bastante intenso. Gilbert encontrava-se na La Redoute que segundo os comentadores era a 30km de sua casa, quase todos os adeptos na estrada a torcer pelo belga que apesar de grande esforço foi alcançado no pelotão, um dos momentos da altos corrida.

Paolo Bettini foi o primeiro a atacar para supresas de muito, Matthew Lloyd (Silence-Lotto) respondeu de imediato, mas foi Andy Schleck com Stefan Schumacher que alteraram o rumo da corrida.

Este duo durou até à nova subida a Côte de la Roche aux Faucons, entretanto Bettini atacava de novo no mini-pelotão mas sem sucesso. Nesta subida Schumacher confirmou o seu mau momento de forma e era o jovem Schleck que liderava isolado. No topo, criou-se um grupo que iria discutir a vitória: Andy e Fränk Schleck (CSC), Davide Rebellin (Gerolsteiner), Alejandro Valverde e Joaquim Rodriguez (Caisse d'Epargne), este último rapidamente ficou para trás.

Cadel Evans (Silence), Damiano Cunego (Lampre) e o fantastico Christian Pfannberger (Barloworld), iria terminar em 5º!!

Andy Schleck atacava de novo, até aqui jogo táctico perfeito da Team CSC, eu estava esperançoso que Andy conseguisse chegar isolado, era sem dúvida uma vitória que iria ficar para a história, mas quando o vi na última subida do dia... estava de rastos. O trio acabou por passá-lo mas sem antes do seu irmão mais velho ter atacado... E que forte ataque!!

Durante o ataque na Côte de Saint-Nicolas o trio ia no limite, Schleck ao ataque, Rebellin sempre na sua roda, via-se que o italiano não iria descolar ao contrário de Valverde que parecia faltar pouco.

Até ao fim quase sempre Rebellin a puxar, até que na recta final Valverde (Caisse d’Epargne) venceu sem grande oposição do fatigado Rebellin e do frustrado Frank Schleck, 2º e 3º respectivamente...

Classificações. Mais detalhes da corrida.

Frank Schleck orgulha-se do seu irmão.

Tour de Georgia 2008: Mais um sprint para Gregory Henderson.

Decorreu ontem a última etapa e mais uma vitória para o neozelandês da High Road.
A team High Road frente a uma poderosa Astana, saiu vencedora.
Três etapas ganhas, camisola amarela e ainda o camisola azul (pontos).

Fotos da sétima etapa cedidas por:
AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.
(clique na imagem para ampliar)


Henderson teve luta de J. J. Haedo (Team CSC) até à linha de meta!!


Os três primeiros classificados da geral:
1º Kanstantin Sivtsou (High Road)
2º Trent Lowe (Slipstream) também vencedor da classificação da juventude
3º Levi Leipheimer(Astana)

Descrição e resultados da etapa.
Vídeo com resumo da etapa.
Vários vídeos com entrevistas aos protagonistas.

domingo, abril 27

Giro d'Italia 2008: Terceira etapa, Tinkoff Credit Systems.

12 de Maio - Etapa 3: Catania - Milazzo 208 km

O terceiro dia ainda na Sicília começa com a subida de Maleto a 1017 metros de altitude. Depois da dificuldade inicial segue-se um longo e plano caminho até Milazzo, será a primeira oportunidade para os sprinters.

Tinkoff Credit Systems

Uma equipa sediada em Itália mas maioritariamente com corredores russos. Tem corredores já experientes como Alberto Loddo, um sprinter italiano que apesar de não estar ao nível de Petacchi ou Napolitano muitas vezes consegue-se intrometer entre os melhores. Já teve algumas vitórias esta época, no Tour do Qatar ainda em Janeiro frente a Boonen e Napolitano, e ainda no Tour de Langkawi. Numa etapa como esta ele estará preparado para o sprint final, terá mais etapas pela frente e caso consiga ganhar alguma, pode dizer “Missão Cumprida”.

Para a classificação geral a aposta é o russo Evgeni Petrov; acabou o Giro em 7º lugar na época passada aguentando-se na montanha e ganhado tempo na sua especialidade, o contra-relógio. Apesar de mais um contra-relógio nesta edição, o russo deverá continuar perto do 10º lugar...

Ainda destacar o jovem Mikhail Ignatiev uma das promessas do pelotão internacional para as Grandes Clássicas, já com 9 victórias na sua carreira de apenas dois anos, faz-nos lembrar Jens Voigt com os seus ataques já no final muitas vezes bem sucedidos, o russo é um excelente contra-relogista também. Uma equipa que irá estar constantemente na fuga do dia a tentar roubar uma vitória aos sprinters e não só.

Ainda faltam alguns...

Pavel Brutt RUS

Mikhail Ignatiev RUS

Vasil Kiryienka BLR

Alberto Loddo ITA

Luca Mazzanti ITA

Evgeni Petrov RUS


Foto do site da Tinkoff Credit Systems.

Tour de Georgia 2008: Leipheimer não conseguiu impôr-se na montanha

Decorreu ontem a sexta etapa do Tour de Georgia.

Fotos da sexta etapa cedidas por:
AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.
(clique na imagem para ampliar)


O pelotão na subida do Brasstown Bald.


Levi Leipheimer(Astana), Trent Lowe (Slipstream), Kanstantin Sivtsou (High Road)
O trio que discutia a etapa como também a classificação geral.
Um pouco atrás vinha Oscar Sevilha (Rock Racing) a tentar recolar.

O bielorusso atacou a um quilómetro para o fim ganhado 10 segundos a Trent Lowe e
16 segundos a Levi Leipheimeir.
Kanstantin Sivtsou é o novo camisola amarela dando mais uma das muitas vitórias da
recém-criada Team High Road.


Descrição e resultados da etapa.
Vídeo com resumo da etapa.
Vários vídeos com entrevistas aos protagonistas.
Hoje decorre a última etapa que provavelmente acabará em sprint.

sábado, abril 26

Tour de Georgia 2008: Não percam hoje a Etapa Rainha!!

Hoje realiza-se a sexta etapa e onde provavelmente se decidirá o vencedor final do Tour de Georgia. Com chegada prevista ao Brasstown Bald, conta ainda com duas contagens de montanha durante a etapa.


A etapa de ontem não trouxe grandes alterações à classificação geral.

Classificação:

1 Trent Lowe (Aus) Slipstream Chipotle p/b H30 16.33.29

2 David Zabriskie (USA) Slipstream Chipotle p/b H30 mt

3 Christian Vande Velde (USA) Slipstream Chipotle p/b H30 mt

4 Levi Leipheimer (USA) Astana 0.04s

5 Chris Horner (USA) Astana mt

6 Antonio Colom Mas (Spa) Astana mt

7 George Hincapie (USA) Team High Road 0.06s

8 Kanstantin Siutsou (Blr) Team High Road mt

9 Bobby Julich (USA) Team CSC 0.13s

10 Iñigo Cuesta Lopez De Castro (Spa) Team CSC mt

13 Thomas Danielson (USA) Slipstream Chipotle p/b H30 0.17s

25 Oscar Sevilla (Spa) Rock Racing 0.53s


Se quiserem saber mais acerca desta subida, leiam este artigo do PEZcycling .

A chegada está prevista a partir das 19.30h.(hora de Lisboa)

Podem ver através do cyclingtv Free2view, a partir das 18h.

Liège-Bastogne-Liège 2008: Todos reunidos para um grande espectáculo (live stream)

Encerra amanhã o mês das grandes Clássicas com chave de ouro: a Liège-Bastogne-Liège. É a mais velha delas todas (1982) e nesta semana a mais longa, a mais dura e a que todos ambicionam ganhar . Este ano, a 94ª edição conta com as tradicionais côtes, 12 pequenas subidas mas algumas bastante inclinadas. Tal como nas outras clássicas a festa fica guardada para o fim, nove difícieis subidas nos últimos 80km, começa com o Côte de Wanne (2.7 km a 7%) ao quilómetro 172 e tem o seu expoente máximo na famosa e temível La Redoute a 35km do fim. Esta subida considerada uma das mais difícieis do ciclismo é o barómetro do desenrolar da corrida; se o ritmo for elevado só "poucos mas bons" irão permanecer na frente, caso contrário será na nova Côte de la Roche aux Faucons (1.5 km a 9.9 %, 18% maximo) a 20km do fim, ou ainda a finalizar, na tradicional Côte Saint-Nicolas (1.0 km a 11.1 %) a 5 km da meta. A parte final é realmente dura, o constante “sobe e desce” deixa marcas nos corredores e só quem está em grande forma consegue fazer a diferença, ultimamente tem havido um grupo de elite, no assalto à subida final.


A maior ausência é Danilo Di Luca, vencedor o ano passado encontra-se em preparação para o Giro já que a sua equipa (LPR Brakes) não tem grande amizade com a ASO. (Vídeo da vitória do ano passado)

De volta está o Campeão do Mundo: Paollo Bettini. Vindo de uma recuperação depois de uma queda na 4ª etapa da Volta ao País Basco decidiu não realizar as duas clássicas anteriores e ganhar forma no Giro del Trentino que acabou ontem.

De Bettini podemos esperar tudo, ele é o protótipo dum corredor para provas de um dia, bastante combativo sempre disposto a atacar nos momentos mais difícieis, um grande finalizador e acima de tudo a experiência de quem veste a “rainbow jersey” pela segunda vez consecutiva. A primeira grande vitória da sua carreira foi nesta corrida em 2000, passado 8 anos será que “Il Grillo” vencerá outra vez?

Damiano Cunego (Lampre) parte como favorito esta época, depois da vitória na Amstel e terceiro lugar na Fleche Wallone, vai esperar para que acabe ao sprint já que aí é um dos mais fortes entre os principais candidatos. Kim Kirchen e Alejandro Valverde são outros que confiam no seu sprint e tentarão manter a corrida o mais calma possível.

À semelhança das duas clássicas passadas a Team CSC e Rabobank vão querer movimentar a corrida, Gesink, Dekker (Rabobank), Kroon, Voigt e os irmãos Schleck (Team CSC), irão pôr pressão aos seus adversários com constantes ataques.

Na Gerolsteineir um Davide Rebellin algo apagado (4º e 6º), nota-se que a sua finalização já não é a mesma, no entanto ainda tem o estatuto de ser o único a vencer as 3 clássicas no mesmo ano(2004)! Schumacher até agora é para esquecer mas Fabian Wegmann tem estado em bom plano e vamos vê-lo a atacar!!

Lembram-se de Boonen antes do Paris-Roubaix, todos o questionavam sobre a sua forma. Rebellin apesar de já ter provado que a idade ainda não lhe pesa (Paris-Nice), tem tido uma semana discreta!! Continuo a acreditar no Tin Tin....

A Barloworld tem tido uma semana brilhante, principalmente o campeão austríaco Christian Pfannberger (6º e 9º) que está em grande forma e lutará outra vez pelo top 10, talvez ataque de novo como na Amstel. Hugo Sabido tem sido uma preciosa ajuda e quem sabe se não é o português a atacar, isso seria algo de épico!!

Finalmente Cadel Evans (Silence-Lotto), ninguém diria que seria ele a fazer os estragos na 4ª-feira passada e até conseguir um 2º lugar. Um percurso mais ao seu jeito mas tal como Valverde descarta-se do favoritismo que lhe dão, assumindo que só o Tour está no seu pensamento.(Vídeo da Conferência de imprensa)


Valverde, Kirchen, Cunego, Rebellin, Bettini, Evans, Schleck, Dekker.....finalmente todos juntos a sacrificarem-se para vencer!!!

Site oficial, Startlist.

A esperança dos franceses será Jérôme Pineau da Bouygues Telecom (10º e 11º), irá continuar a lutar pelo top 10 como afirma nesta entrevista.

Vários vídeos: 1993, 1997, 2006(Vitória ao sprint de Valverde)

Entrevista com Sean Kelly, vencedor em 1989.

Podem ver através da Eurosport a partir das 13h até cerca das 16h (hora de Lisboa). Ou ainda através deste link nessa hora também.



Fotos cedidas por: http://cyclingview.be/

Giro d'Italia 2008: Segunda etapa, AG2r – La Mondiale.

11 de Maio - Etapa 2: Cefalu - Arigento 207 km

Um longo percurso de constante “sobe e desce” que atravessa a ilha de Sicíclia durante 207km. Será um dia duro onde provavelmente os sprinters ainda não terão oportunidade para mostrar os seus atributos. A abrir uma subida a 700m de altitude e ainda o Polizzello a 813m já a meio da etapa onde um corredor como Gasparoto, Bettini, rápidos finalizadores, têm uma etapa à sua medida....

AG2r – La Mondiale

Foi uma das duas equipas francesas convidada pois conta com dois corredores habituais nestas paragens: Rinaldo Nocentini começou a época da melhor forma quando em dois fins de semana seguidos, conseguiu o 2º lugar no Tour du Haut Var e venceu o GP Lugano. Mais tarde, novamente contra Rebellin, foi segundo no Paris-Nice a escassos segundos do seu compatriota. É um corredor mais virado para clássicas que numa etapa destas poderá dar à equipa francesa uma rara vitória no Giro. O esloveno Tadej Valjavec será a aposta para a classificação geral, com 31 anos tem já grande experiência em Grandes Voltas principalmente nesta, obteve um 9º lugar em 2005 e um 19º no Tour em 2007. Este ano, apesar da alta montanha onde costuma andar na frente tem os contra-relógios onde é fraco, contudo, o seu objectivo deverá ser novamente o top 10.

Os 9 eleitos:

Sylvain Calzati FRA

Nicolas Rousseau FRA

Yuriy Krivtsov UCR

Philip Deignan IRE

Rene Mandri EST

Laurent Mangel FRA

Rinaldo Nocentini ITA (na foto)

Blaise Sonnery FRA

Tadej Valjavec SLO


Foto de baixo cedida por: http://cyclingview.be/

sexta-feira, abril 25

Jogo Sempre na Roda

Só para avisar que já sairam os primeiros resultados do Jogo Sempre na Roda, peço desculpa pelo atraso mas de agora em diante irão sendo actualizados mais regularmente....

Obrigado pela vossa participação.

Giro d'Italia 2008: Primeira etapa, Slipstream.

Vinte uma etapas, vinte uma equipas e o ideal era faltar 21 dias, no entanto já só faltam 15 para o começo do Giro de Itália (10 de Maio). A minha ideia era cada dia, escrever sobre uma equipa e sobre uma etapa, assim terei que apressar e haverà dias como o de hoje, que ponho dois posts...

Vai ser um Giro memorável onde começa e encerra com um contra-relógio. No total são quatro e pelo meio da corrida muita Montanha!! O percurso está escolhido e perfeito para um brilhante espectáculo, agora só depende dos intervenientes...

Apesar de ainda não ter saído as altimetrias de todas as etapas, no site da Gazzeta del Sport dizem a característica de cada etapa. Acontece o mesmo com os corredores, os principais favoritos sabe-se quem são, mas existem sempre algumas mudanças de última hora, espero que sejam de protagonistas menores.

10 de Maio - Etapa 1: Palermo, Sicília 28,5km

À semelhança do ano passado começa com um contra-relógio por equipas numa ilha. Na edição anterior começou na Sardinia mas desta vez será na Sicilia, em Palermo sua capital. São 25,6 km com vista para o Mar Mediterrâneo e sem grandes dificuldades, a Liquigas ganhou a edição anterior mas este ano terão mais um forte adversário....


Team Slipstream

Uma das equipas que tem dado mais nas vistas esta época e merecidamente foi seleccionada para esta prova. O seu capitão será o canadiano Ryder Hesjedal que já realizou duas Grandes Voltas; Em 2005 pela Discovery Channel ajudou o seu líder Paolo Salvodelli a vencer o Giro, também correu ainda a Volta à Espanha no ano seguinte. Esta época já obteve bons desempenhos: 10º no Monte Paschi Eroica e 8º no Tirreno Adriático. É um excelente trepador como um bom contra-relogista, tendo a sua época planeada para o Giro penso que poderá alcançar o top 10.

Julian Dean será o sprinter da equipa americana mas será muito difícil ter êxito já que a concorrência é demasiado forte. Assim sendo, a Slipstream deverá apostar em fugas, uma equipa que irá animar a corrida e mostrar porque mereceu o seu Wild Card. É a minha aposta para a primeira etapa, com especialistas como Millar, Zabriskie, Backstedt e Vandevelde tem tudo para se estrear a ganhar.

Sujeito a alterações:

Magnus Backstedt
Julian Dean
Ryder Hesjedal
Pat McCarty
David Millar
Danny Pate
Christian Vande Velde
David Zabriskie

Entrevista recente com Ryder Hesjedal.

Foto da quarta etapa cedida por: AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.

Off-Topic: Alguém sabe o que se passa com o CycloLusitano, o fórum? Há dias que tento aceder e não consigo!!

Tour de Georgia 2008: Slipstream ganha Contra-Relógio

Ontem realizou-se a quarta etapa, um contra-relógio por equipas de 16,1km bastante técnico. A curiosidade é que a organização proibiu a utilização de equipamento específico de contra-relógio (bicicletas, capacetes), para evitar maiores custos de deslocação para as equipas europeias.

Fotos da quarta etapa cedidas por:
AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.
(clique na imagem para ampliar)

A Slipstream foi a vencedora, terminando com o tempo de 19m.36seg, média de 49,285km/h.
Apenas quatro corredores chegaram juntos: Trent Lowe, Vandeveld, Zabriskie e Danielson.


A três segundos chegou a Astana liderada por Chris Horner.


A Team High Road chegou em 3º lugar, a 5 segundos da Slipstream.
No entanto Gregory Henderson continua líder da classificação geral.

Descrição e resultados da etapa.
Vários vídeos com entrevistas aos protagonistas.
Vídeo da etapa.
Hoje é a etapa mais longa:
214.7km.

Triatlo Internacional de Lisboa

In Federação Triatlo de Portugal

No próximo sábado (amanhã), dia 26, o Parque das Nações recebe a competição em que estão inscritos mais de 600 atletas.

A partida para o Triatlo Internacional de Lisboa, prova a disputar-se na distância longa, será dada às 8h00. Pela frente, os participantes têm 1900 metros de natação, 90 quilómetros de ciclismo e 21,1 quilómetros de corrida. A chegada do primeiro atleta está prevista para as 11h45.
Em relação aos portugueses, a start list inclui Pedro Gomes, Sarah Moniz, Rui Dolores, Alexandre Feliz, Joana Creissac, Pedro Ferreira, Bruno Grilo, Duarte Mendonça, Carlos Gomes, José Guilherme Oliveira, entre muitos outros.

Para mais detalhes aceder ao site da Federação Triatlo de Portugal.

Site oficial.

quinta-feira, abril 24

Flèche Wallonne 2008: Kim Kirchen com um "timming" perfeito

Estava com grande vontade de postar logo a seguir à corrida mas por motivos “profissionais” foi impossível. Comecei a ver a partir dos últimos 50kms e posso dizer que foram brilhantes, os corredores estiveram realmente ao nível desta prova.

Andy Schleck e Nicki Sørensen foram as primeiras cartas de Bjarne Riis (director da CSC), juntamente com Van Den Broeck (Silence-Lotto), Addy Engels (QuickStep) e mais alguns, andaram na frente durante alguns quilómetros mas a Caisse d’Epargne fez um excelente trabalho na perseguição. Este grupo ainda numerado nunca teve mais de um minuto já que tanto Schleck, Matthew Lloyd (campeão australiano), Laurens Ten Dam (Rabobank).... são corredores de grande valor aos quais não se pode dar muita liberdade. Andrey Grivko (Team Milram) foi o último sobrevivente já que o ritmo do pelotão estava cada vez mais forte.

A 22km foram alcançados, o mini-pelotão liderava mas durou pouco tempo novo ataque da Team CSC?!! (A melhor equipa em prova mas Frank Schleck pareceu-me bastante bem na Amstel, porquê atacarem?! Talvez para evitar que fossem obrigados a comandar o pelotão....)
Desta vez foi Gustaf Larsson seguido desde logo pelo campeão alemão Fabian Wegmann e posteriormente de Alexander Efimkin (Quick Step). Estes três andaram com cerca de 30 segundos de vantagem para o pelotão que desta vez liderado pela Lampre esperava mais uma vitória de Cunego....

A chuva já se fazia sentir há algum tempo e para azar da CSC o sueco caiu a 6km da meta(vídeo)!! Wegman isolou-se e entrou no Mur (último quilómetro) com Efimkin em sua perseguição e a ganhar terreno....(talvez fosse diferente o final, se este azar não batesse à porta do sueco)




Uma pessoa olha para as fotos e estatísticas do Mur e fica impressionada, mas quando vê corredores desta categoria a estoirarem nesta “pequena subida” é qualquer coisa de assustador, exemplo disso é o sofrimento espelhado na cara do alemão depois de Cadel Evans já o ter ultrapassado.

Voltando ao pelotão foi Cadel Evans que basicamente fez estragos. Valverde desde cedo ficou para trás, Frank Schleck igualmente, os únicos eram Joaquim Rodriguez (Caisse d’Epargne), Cunego, estes que na última rampa também descolaram e só Rebellin e Kirchen seguiam-o na roda...

Sinceramente pensei que Rebellin fosse o vencedor; estava logo atrás de Evans na rampa final mas foi Kim Kirchen (Team High Road) na sua roda que conseguiu vencer. (depois da decepcionante Amstel, não pensei que pudesse ganhar)....Foi tudo uma questão de timming, claro que só os mais fortes conseguiriam resistir ao ataque de Evans hoje, mas o luxemburguês soube esperar pela altura certa e ultrapassar os dois já no fim da subida abrindo caminho para a vitória, sem dúvida a sua maior.

Davide Rebellin (Gerolsteiner) voltou a decepcionar-me outra vez, em anos anteriores não tinha dúvidas que hoje, era ele a ultrapassar o australiano e a vencer, no entanto viu-se que estava no limite acabando em 6º.

Nota ainda para os excelentes resultados de Robert Gesink e Thomas Dekker ambos da Rabobank, ambos jovens com grande futuro; Dekker já apontado como um futuro vencedor do TOUR, Gesink com perfil mais de trepador, será um futuro vencedor de uma destas clássicas.

Classificações:

1 Kim Kirchen (Lux) Team High Road 4.35.29 (43.45 km/h)

2 Cadel Evans (Aus) Silence - Lotto 0.01

3 Damiano Cunego (Ita) Lampre 0.02

4 Robert Gesink (Ned) Rabobank mt

5 Thomas Dekker (Ned) Rabobank mt

6 Davide Rebellin (Ita) Gerolsteiner mt

7 Michael Albasini (Swi) Liquigas 0.08

8 Joaquim Rodriguez (Spa) Caisse d'Epargne 0.10

9 Christian Pfannberger (Aut) Barloworld 0.15

10 John Gadret (Fra) AG2r - La Mondiale 0.20

54 Hugo Sabido (Por) Barloworld 3.20

Tour de Georgia 2008: Dobradinha para a Team High Road

A 3ª etapa acabou como se esperava, em sprint. Desta vez foi o veterano Gregory Henderson o mais rápido, André Greipel também da Team High Road foi segundo, e em terceiro e ainda em busca duma vitória Tyler Farrar da Slipstream.

Fotos da terceira etapa cedidas por:
AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.
(clique na imagem para ampliar)

George Hincapie festeja lá atrás.


Pelotão passa por um Tank.



O Pódio: (da esquerda para a direita)

Tyler Farrar da Slipstream (Classificação da Juventude);

Rory Sutherland da Health Net (Corredor mais Combativo da etapa);

Gregory Henderson da Team High Road (Classificação por Pontos e Geral Individual);

Frank Pipp da Health Net (Classificação da Montanha).


Descrição e resultados da etapa.
Vários vídeos com entrevistas aos protagonistas.
Vídeo da etapa.
Hoje é o contra-relógio por equipas.

quarta-feira, abril 23

Tour de Georgia 2008: J. J. Haedo começa a facturar!!

Jay Jay Haedo (Team CSC) depois de ontem ter furado impedindo-o de realizar o sprint, hoje na primeira tentativa conseguiu a sua primeira vitória. Um final muito disputado, onde o argentino que vem duma recuperação da mão esquerda só conseguiu ultrapassar o 2º e 3º classificados nos últimos metros. As vítimas foram Gregory Henderson (Team High Road), 2º e Ivan Dominguez (Toyota-United) em 3º.

Fotos da segunda etapa cedidas por:
AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.
(toque na imagem para ampliar)

Vitória de Haedo, mal teve tempo para celebrar.


O Pelotão (simplesmente fantástica esta foto).

A partida.


Descrição e resultados da etapa.
Vários vídeos com entrevistas dos protagonistas.
Podem ver o resumo da primeira e segunda etapa no cycling.tv. (seguido dum breve anúncio)

terça-feira, abril 22

Flèche Wallonne 2008 (live stream): Hugo Sabido marca presença.

Vem aí a segunda Clássica desta semana, a 72ª edição da Flèche Wallonne já amanhã. Iniciada em 1936 e mais uma vez por um jornal, o Les Sports, a clássica do meio da semana já sofreu muitas alterações. Já chegou a ser de 300km, com diferentes chegadas, mas já há muitos anos tem o seu ex-libris a coincidir com seu final: o Mur de Huy, uma subida de 1300 metros com média de 9,3% de inclinação mas com impressionantes rampas de 25%!!! Os corredores partem de Charleroi e nos próximos 199,5 km terão que ultrapassar onze subidas sendo dessas, três passagens pelo Mur de Huy. Um constante “sobe e desce” ao longo do caminho mas onde os protagonistas costumam aguardar pela subida final para decidir a vitória.

Lance Armstrong em 1995 lançou um daqueles ataques que habituamo-nos a ver na alta montanha em França, obtendo talvez a sua maior vitória antes da grave doença.


Davide Rebellin (Gerolsteiner) vem defender o título alcançado o ano passado mas demonstrou alguma fraqueza depois do forte ataque de Schleck. Caso aconteça o mesmo do domingo passado, conta mais uma vez com os dois alemães, Schumacher e Wegman dois corredores explosivos, rápidos nestas pequenas subidas.

Para além dos candidatos referidos no post da Amstel Gold, amanhã teremos mais um de peso: o australiano Cadel Evans (na foto). É verdade que não é um grande finalizador e nunca ganhou uma clássica destas, as suas características são mais de endurance e não tão explosivas como acontece na parte final desta corrida. No entanto, com uma boa época aliada a alguma experiência sendo o seu melhor aqui, um 9º lugar, poderá lançar um mortífero ataque como Schleck quase conseguia no passado domingo. Penso que a Liege-Bastogne-Liege no domingo será o seu principal objectivo para esta semana e talvez onde possa ter mais hipóteses, já que é uma prova mais longa e mais dura.

Ricardo Ricco (Saunier Duvall) apesar de uma miserável época é sempre um forte candidato como demonstrou o ano passado. Robert Gesink (Rabobank) à semelhança do italiano, sempre teve um gosto por esta semana já tendo inclusive, bons resultados. Thomas Dekker já provou estar forte e se os dois chegarem junto à subida final, Gesink será talvez o mais capacitado a enfrentar os experientes sprinters das colinas...

De equipas menores mas que podem alcançar um top 10, o campeão francês Christophe Moreau vem provar à ASO, o erro de não lhe dar a hipótese este ano de defender o título no Dauphiné Libéré. Jerôme Pineau (Bouygues Telecom) e Simom Gerrans (Crédit Agricole) deram bons indícios no domingo que estarão igualmente preparados para o assalto ao Mur de Huy.

Amanhã saberemos quem é o maior candidato à vitória final da mais antiga dos Monumentos: a Liège-Bastogne-Liège.

Artigo de hoje sobre Davide Rebellin (cyclingnews).

Startlist.Site oficial.

Entrevistas: Damiano Cunego, Joaquim Rodriguez (Caisse d'Epargne)

Amanhã a prova irá dar na Eurosport a partir das 13h com chegada prevista para as 15h.30m.

Podem ver na internet através deste link do cyclingtv nessa essa hora também.


Foto cedida pelo site oficial da Silence-Lotto: www.davitamon-lotto.com

Tour of Georgia 2008: Primeira etapa para Ivan Dominguez.

O cubano Ivan Dominguez da Toyota-United foi o mais rápido no pelotão batendo ao sprint Nicholas Sanderson (Jelly Belly) e Robert Forster (Gerolsteineir), 2º e 3º respectivamente.



Deixo aqui algumas fotos da primeira etapa cedidas por:
AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.
(toque na imagem para ampliar)

A fuga do dia.

O pelotão.


Videos com entrevistas dos protagonistas desta corrida.

segunda-feira, abril 21

Tour de Georgia 2008: "Georgia On My Mind"

Começa hoje o Tour de Georgia nos Estados Unidos da América, corrida esta que beneficia desde o seu início (2003) a Georgia Cancer Coalition (ONG que se dedica a reduzir o número de cancros mortais nos EUA). Juntamente com o Tour of Califórina são as corridas mais importantes e mediáticas do continente americano, onde cada vez mais, o Ciclismo ganha adeptos.



Serão 775km separados em sete etapas havendo de tudo: Três etapas iniciais onde os sprinters entrarão de serviço, ou não. Depois, um contra-relógio por equipas de 16km, no entanto as bicicletas não poderão ser de contra-relógio, terão que ser as normais de estrada (para evitar os custos de transporte das equipas fora dos EUA). Ao quinto dia a mais longa com 214km antecedendo a etapa rainha que acaba na montanha mítica deste tour, a Brasstown Bald, a 1450 metros de altitude. Por fim, na sétima etapa um passeio para o camisola amarela onde os sprinters terão mais uma oportunidade de levarem uma vitória para casa.


Depois deste conjunto de etapas só mesmo este nível de participantes presentes para tornar ainda mais especial esta corrida:

Levi Leipheimer, 3º classificado do Tour de 2007 e vencedor do Tour of California em Janeiro é o grande favorito. Conta ainda com Chris Horner (vencedor na 1ª edição em 2003) e "Chechu Rubiera", ambos imprescindíveis na sua vitória na Califórnia. A Astana continua a sua caminhada na luta contra o facto de não ter sido convidada para o Tour de France, sendo assim os seus líderes mudaram de objectivos, e especialmente para Leipheimer esta é uma prova que ele ambiciona ganhar.


Tom Danielson juntamente com Christian Vandevelde e David Zabriskie serão os patrões da Slipstream, o primeiro, vencedor em 2005 ainda é uma incógnita já que vem a recuperar duma lesão. No entanto, tanto Vandevelde como Zabrisike tem estado em evidência nesta época e com bons resultados. Esta equipa deverá ser a principal ameaça à Astana, Tyler Farrar para os sprints vem à busca de uma vitória, quem sabe?!

A Team CSC traz aqui o seu melhor sprinter, o argentino Jay Jay Haedo que sem dúvida alcançará uma vitória, a questão será quantas mais? Jason McCartney e Bobby Julich serão os que lutarão pela classificação geral, trazem com eles Bradley Wiggins para os ajudar no contra-relógio por equipas.

“Big” George (Team High Road) de novo na sua terra e depois dum frustrante Paris-Roubaix vem aqui tentar nova vitória. Thomas Lokvist com uma boa época para já, algo preenchida no entanto, é a aposta para a classificação geral. André Greipel depois de um início de época fulgurante vem tentar aqui mais vitórias, será talvez o maior adversário de Haedo (CSC).

O meu screensaver (carregar na imagem para ampliar)

O mais atentos já conhecem a Rock Racing, não pelos resultados mas pelo mediatismo que esta tem tido no ciclismo mundial. Não foram convidados à partida mas substituiram a Saunier Duvall que foi obrigada a desistir devido às várias lesões no seu plantel. Assim, debaixo de muita polémica a equipa de Michael Ball apresenta-se com os seus três melhores corredores já ligados a casos de doping: Santiago Botero, Oscar Sevilla e ainda Tyler Hamilton (estes que foram proibídos de participar no TOC). O que está mais em forma é Botero, o colombiano venceu à pouco tempo uma prova do calendário norte-americano a Redlands Classic. Uma equipa a ter em atenção, um a um poderão ir causando estragos. Fred Rodriguez um dos mais conhecidos sprinters dos EUA tentará tal como fez na edição anterior, uma vitória na etapa inaugural(video).


Ainda destacar a Gerolsteineir que com Robert Forster tem um dos favoritos do pelotão em caso dum sprint final.

Existem ainda mais algumas equipas americanas, uma chinesa (Trek-Marco Polo Cycling Team) e ainda uma do Canadá (Symmetrics Cycling Team). Sinceramente não conheço muito os corredores dessas bem como os objectivos, mas provavelmente lutarão para aparecerem...

Ficam aqui as equipas restantes dos EUA bem como os corredores que se destacam nestas:

BMC Racing Team: Scott Nydam; Jackson Stewart

Bissell Pro Cycling: Tom Zirbel (infelizmente o “nosso” João Correia não estará presente)

Health Net Presented by Maxxis: Rory Sutherland

Toyota-United Pro Cycling Team: Dominique Rollin (vencedor de uma etapa no TOC)

Team Type 1

The Jittery Joe's Pro Cycling Team

Jelly Belly Cycling Team

Site oficial, Startlist.

No site oficial tem a transmissão em directo da corrida. As emissões decorrem a partir das 20h, hoje a chegada está prevista para mais cedo, às 19h. (horas de Lisboa).

Começou ontem a Volta Ciclista São Paulo, podem ver o preview da corrida no Maglia Rosa.
Site oficial.

Fotos cedidas por AT&T Tour de Georgia / PhotoSport International.

domingo, abril 20

Amstel Gold Race: Damiano Cunego estreia-se a ganhar!!


Kim Kirchen (High Road) foi o primeiro a abrir as hostilidades a 18km do final no Eyeserbosweg. A partir daí as movimentações não pararam, Sergey Ivanov (Astana) e Christian Pfannberger (Barloworld) ainda conseguiram alguma vantagem mas a 10km do final foram alcançados por 7 corredores.

Aqui formou-se o grupo que iria discutir o Cauberg bem como a vitória: (Valverde, Rodriguez, Schleck, Pfannberger, Kroon, Dekker, Cunego, Ivanov e Rebellin). Joaquim Rodriguez (Caisse d’Epargne) e Karsten Kroon (Team CSC) trabalhavam para os seus líderes (Valverde e Schleck) enquanto que os outros “descansavam”. No grupo atrás, vinha Oscar Freire (Rabobank) e Stefan Schumacher (Gerolsteiner) possíveis candidatos à vitória mas que no entano não conseguiram alcançar os da frente.

No Cauberg, a última subida com a meta no topo, foi Frank Schleck (Team CSC) o primeiro a arrancar tal como a chegar ao topo. Só mesmo Damiano Cunego conseguiu vir na sua roda e com uma excelente aceleração nos últimos 50m planos conseguiu ultrapassar o luxemburguês...Uns metros atrás Valverde e Rebellin discutiam o lugar mais baixo do pódio onde espanhol levou a melhor.

Classificações:

1 Damiano Cunego (Ita) Lampre 6.35.29 (39.051 km/h)

2 Frank Schleck (Lux) Team CSC mt

3 Alejandro Valverde Belmonte (Spa) Caisse d'Epargne 0.02

4 Davide Rebellin (Ita) Gerolsteiner mt

5 Thomas Dekker (Ned) Rabobank 0.06

6 Christian Pfannberger (Aut) Barloworld 0.14s

7 Serguei Ivanov (Rus) Astana 0.18s

8 Joaquim Rodriguez (Spa) Caisse d'Epargne 0.23s

9 Karsten Kroon (Ned) Team CSC 0.27s

10 Jérôme Pineau (Fra) Bouygues Telecom 0.45s (2º grupo)

43 Hugo Sabido (Por) Barloworld a 2.06 (2º melhor da sua equipa)

Sérgio Paulinho desistiu.

Entrevista de Cunego ao cyclingnews após a vitória.